museu-imigracao-japonesa-sp-japaobr
Museu da Imigração Japonesa no bairro Liberdade em São Paulo

O bairro Liberdade em São Paulo é um mix entre Brasil e Japão, ambos enraizados em grandes histórias e ao mesmo tempo, atualizados com as modernidades tecnológicas do século XXI. Como mencionado em outro post, no final de junho/2019 participei do Japão.br, conheci a grande comunidade japonesa localizada no bairro Liberdade (SP). Um lugar repleto de memórias que fazem parte do Brasil desde 1905.

Com o objetivo de mostrar a cultura, atividades e costumes do Japão num país ocidental, o Japão.br reúne anualmente blogueiros de vários estados, no bairro mais japonês do Brasil para experimentar na prática como é a vida no Liberdade, e eu fui uma das convidadas. Foram 3 dias de imersão no local, tive a oportunidade de degustar as delícias da culinária japonesa, apreciar os costumes do país, ver a beleza dos jardins orientais, conhecer pessoas e histórias emocionantes.

O Museu da Imigração Japonesa foi um dos lugares onde mais gostei de visitar e que com todas as suas nuances, merece um post especial só para ele! Portanto, separei 3 motivos para você não deixar de passar no museu quando for visitar o bairro Liberdade:

1) Possui um grande acervo com mais de 90 mil itens

Melhor do que conhecer e saber das histórias, é poder contemplar a beleza física delas. Os objetos são importantíssimos para a preservação da veracidade dos fatos. Qualquer conto fica mais interessante e real quando se tem algo físico para se mostrar dele. O Museu da Imigração Japonesa no Brasil reserva hoje 97 mil itens que pertencem aos japoneses que chegaram em nosso país. Livros, quadros, quimonos, vidros, etc, contemplam a exposição.

Andando por lá e sendo guiada pelo simpático senhor Takeda, deparei-me com os frascos de soro antipeçonhento e outros itens do hospital japonês inaugurado em 1938, sendo hoje Hospital Santa Cruz. O interessante foi descobrir que os objetos de uso medicinal trazidos de lá, eram modernos e com tecnologias avançadas para a época. Pelo que parece, os japoneses carregam a inteligência no sangue e estão sempre a frente do tempo.

museu-imigracao-japonesa-sp-japaobr

Guia: Sr. Takeda

Nós mulheres possuímos alguns instintos especiais e esse jeito menina de ser é um deles, falo assim, devido a mala de histórias que vi. Um par de chinelos, bolsa, livros e uma boneca japonesa, quantas memórias estavam inseridas ali.

A história de uma garota que deixou seu país de origem para novos sonhos, desafios e aventuras num país tropical e totalmente distinto do Japão. Recordações e curiosidades estão inseridas em cada objeto do acervo, cada canto e cada fala do nosso guia, senhor Takeda. Sem sombras de dúvidas, o acervo de itens é um local que você que gosta de boas lembranças, não pode deixar de conhecer.

2) História da Migração Japonesa

Eles chegaram aqui no país em meados do século XX, trouxeram utensílios, a habilidade tecnológica, inteligência, cultura e os costumes japoneses, tudo isso está reunido no bairro Liberdade, ou melhor, no Museu da Imigração Japonesa no Brasil. Como disse antes, além de ouvir sobre, pude ver e conhecer alguns espaços ocupados por eles na chegada à nossa terra, já são 111 anos morando aqui. Em 1908, os japoneses migraram do Japão para o Brasil e uma nova vida foi construída a partir de então. Entretanto, eles nunca deixaram os costumes e a cultura de origem para trás. Famílias vieram e outras se formaram, a história começou com alguns e hoje é escrita por mais de 1 milhão de japoneses e descendentes espalhados pelo país.

Um imigrante num país desconhecido, a princípio, enfrenta alguns desafios e com os orientais não foi diferente. Quando se migraram para o Brasil, construíram cabanas simples, que aliás, podem ser vistas em réplicas no museu, feitas de madeira, com cama improvisada de palhas, facas grandes, pratos amadeirados, lamparina, fogão a lenha e objetos domésticos trazidos do Japão. Assim eram as cabanas dos imigrantes: humildes e aconchegantes. Pude contemplar a beleza das cabanas, dos barcos que os trouxeram e toda a trajetória japonesa aqui, na nossa terra brasileira. Histórias emocionantes e contadas por quem é legitimamente um japonês: senhor Takeda.

3) A convivência com os animais e as plantações

Onças, cobras, jacarés e tantos outros animais, perigosos ou não, faziam parte da rotina inicial dos imigrantes japoneses. Devido ao fato da construção das cabanas terem sido dentro das matas, os bichos ficaram bem próximos dos humanos. O senhor Takeda nos contou que esta é uma das partes mais interessantes para os estudantes que visitam o museu. As réplicas dos animas foram construídas de maneira minuciosamente real, o que nos desperta a curiosidade e a sensação de estar lá, no local e na época de fato. Desde aquele período, os japoneses já deram indícios de movimentação na nossa economia, os imigrantes deram início a produção da pimenta-do-reino, fazendo com que a capitalização do produto na região da Amazônia se desenvolvesse futuramente, se tornando uma das melhores, inclusive.

museu-imigracao-jaonesa-sp-japaobr

Ao longo do tempo, os japoneses foram se mudando para as redondezas paulistas. Para sobrevivência, muitos começaram a comercializar verduras, cultivação do café, invenção de objeto para fazer queijo de soja, entre outros. Eles chegaram conquistando espaços e trazendo ideias, com o passar dos anos, a comunidade japonesa foi criada no bairro Liberdade. O que fica hoje são lembranças dos anos iniciais e todos os percalços vencidos até aqui.

O Museu dos Imigrantes é um local formoso e que pode tirar suas dúvidas em relação a trajetória da imigração japonesa no Brasil. Para amantes de história, o departamento é recomendadíssimo.

Veja Também:

3 atrações diferentes para curtir a cultura japonesa em São Paulo;
Dicas de restaurantes japoneses em São Paulo;
Pavilhão japonês no Parque Ibirapuera/SP;
Cultura japonesa no bairro Liberdade em São Paulo

• O Diário de Turista agradece o convite para a participação na Press Trip no Japão.br. Todos os relatos aqui descritos refletem a nossa sincera opinião, sejam positivas ou negativas. 

Organização: Patrícia Takehana do blog Bagagens de Memórias e fundadora do @japao.br.

Parceiros: @instabunkyo, @museumhijb, @japanhousesp, @parqueecologicoimigrantes, @saopaulotokyo, @restaurante.samurai, @bluetreeanalia, @himawaritaiko, @japan_escola, @vempraliba, @lacoceramica, @carla.okubo e @japao.br.

Convidados: @diariodeturista_, @spdagaroa, @partiuviajarblog, @saopaulosemmesmice, @partiuviajarblog, @patriciaviaja, @dani.tur.br, @trilhamarupiara, @idasevindasblog, @viagensdecaprala, @qualquerviagem, @rodasnospes e @pormaisumcarimbo.

Obrigada a todos os parceiros que contribuíram para esse evento, foi lindo!

Planeje sua viagem aqui!

Faça suas reservas clicando nos links dos nossos parceiros, você não paga nada a mais por isso e nós ganhamos uma pequena comissão. Você garante os melhores preços, serviços e ainda ajuda o blog a continuar compartilhando dicas de viagens pelo mundo! ​Muito obrigada e boa viagem!

    Comentários

  1. Katsunori shimomaebara
    31 /outubro /2019

    Muito obrigado pela divulgação da vida dos primeiros imigrantes japoneses no Brsil e um pouco da cultura japonesa.

    • Paloma
      14 /novembro /2019

      Oi tudo bem? Eu que agradeço 🙂 experiência foi incrível, é preciso compartilhar sim!

Deixe seu comentário:






* campos obrigatórios