Minha viagem à Jamaica by Viajar pela História

No quadro Sua Viagem leitores e blogueiros compartilham conosco relatos de sua viagem para algum destino especial. Quem escreve hoje é a Catarina Leonardo autora do Blog Viajar pela história, ela dá dicas e conta sobre sua viagem para à Jamaica.

turismo-jamaica-passeios

Siga o Blog Viajar pela História nas Redes Sociais: Twitter/ Facebook/ Instagram.

Fiz uma viagem por algumas ilhas das Caraíbas em 2008 e foi inesquecível. É uma região com uma cultura muito rica, imensa história e paisagens simplesmente deslumbrantes. Um dos países que visitei foi a Jamaica, o país do reggae e do Bob Marley (e não só!).

 Antes dos espanhóis terem chegado, a ilha era habitada por índios que a chamavam “Xaymaca”, “a terra da madeira e da água”. Pouco tempo depois os nativos foram sendo eliminados e teve início a importação de escravos negros de África. Com a chegada dos ingleses (e expulsão dos espanhóis) o país foi designado de Jamaica e foi estabelecida uma nova capital, Kingston.

Durante a colonização inglesa o país transformou-se em um local de contrabando e pirataria da região das Caríbas, dada a proximidade às rotas marítimas e a configuração da baía permitir resguardar um grande número de barcos. Por volta do ano de 1670, Inglaterra nomeou um governador e os piratas foram perseguidos até à sua extinção. Mais tarde foi criada a Real Companhia Africana e a Jamaica foi convertida num dos maiores centros de tráfico de escravos. 

No decorrer deste período de escravatura e com a proibição da manifestação das crenças religiosas dos escravos, começaram a surgir as raízes do que mais tarde se tornou o movimento do rastafári e do reggae. E esta música, este estilo de vida e modo de estar, é um aspecto muito importante quando se fala numa viagem à Jamaica. Há uma boa onda que se sente e dá sentido às palavras que mais se ouvem dos jamaicanos: “no problem” e “respect”.

Para perceber um pouco mais do que acabei de falar aconselho em Kingston fazer uma visita ao Museu Bob Marley, que foi a sua casa até morrer. O Museu foi um local que visitei quando cheguei à capital da Jamaica, vinda de Cuba. A partir de Kingston aluguei um carro e fui até Negril, Montego Bay, Ocho Rios e Dunns River. O percurso até aos principais locais na costa é uma explosão brutal de verde. Aconselho mesmo a quem visitar a Jamaica a “perder-se” pelo interior e não ir só para as praias e spots mais conhecidos.

Em Montego Bay e Negril podem encontrar praias paradisíacas, água quente e calma, areia fina e dourada. Um autêntico sonho!

Um outro local que recomendo são as Dunns River Falls, em Ocho Rios. Subir a pé estas cascatas é uma aventura imperdível! Não saia da Jamaica sem ir lá. As Dunns River falls têm 55 metros de altura e 180 metros de comprimento e parecem ser escadas gigantes, sendo por isso possível subir a pé, com algum esforço dada a força da água e as pedras serem um pouco escorregadias. É uma aventura que pode demorar entre 1 a 2 horas. Para quem não queira subir a pé, há também a possibilidade de subir as escadas que se encontram ao lado da cascata. De ambas as formas o passeio vale muito a pena pois a envolvência é espetacular, com uma exuberante beleza natural.

 A Jamaica de fato é um país que merece mesmo uma visita. Pessoas simpáticas e com uma “boa onda”, clima excelente, paisagens lindíssimas e praias onde apetece mesmo ir, e ir e tornar a ir. Eu adorei! 🙂

turismo-jamaica-passeiosturismo-jamaica-passeiosturismo-jamaica-passeiosturismo-jamaica-passeios

Muito Obrigado Catarina por compartilhar conosco suas dicas.

*Todo o conteúdo desse post é de autoria e inteira responsabilidade do Blog Viajar pela História by Catarina Leonardo!

Deixe seu comentário:





* campos obrigatórios